Inovação não é um fim, é um caminho!



Acreditamos que a inovação deve ser um drive constante em qualquer empresa para gerar valor de maneira orgânica. No entanto, muitas organizações apostam na criação de departamentos de inovação como um fim, visando resultados rápidos.

Esse tipo de ação, sem um objetivo definido, tende a desperdiçar recursos. Para evitar erros de conceito como esses, é preciso fomentar a absorção dos valores da inovação à cultura corporativa.

Falaremos sobre a importância de construir um ambiente propício à criatividade e como a tecnologia pode ajudar nisso.


O que é inovação?

O conceito de inovação tornou-se bastante popular nos últimos anos. Ainda assim, é difícil haver consenso sobre seu significado por sua pluralidade.

Confira alguns “sinônimos” de inovação disseminados por aí:

➔ implementação de novas ideias;

➔ soluções que aumentem a relevância;

➔ aprimoramento de processos;

➔ novos modelos de negócio viáveis;

➔ introdução de novos produtos/serviços no mercado;

➔ geração de valor aos clientes, usuários e negócios;

➔ incremento na equação de lucratividade;

➔ soluções que causem rupturas no mercado.

De forma mais técnica, no livro Innovation and Entrepreneurship, Peter Drucker define a inovação como “o instrumento específico do empreendedorismo [...] que dota os recursos com uma nova capacidade de criar riqueza”.

Já Scott Berkun, da Carnegie Mellon University, acredita que a “inovação é uma mudança positiva significativa”.

Outro conceito bem respeitado é de Tim Kastelle. Para ele, a inovação “não é apenas ter uma ideia, mas executá-la de modo a criar valor”.

Numa média, podemos resumir a inovação como um processo de criação de valor e aplicação de novas soluções para problemas.


Inovação disruptiva x estratégica

A inovação pode assumir, no mínimo, duas facetas: disruptiva ou estratégica.

Inovação disruptiva

Inovação disruptiva refere-se a melhorias pontuais e incrementais, geralmente decorrentes de processos de tentativa e erro, e direcionadas a tornar processos, produtos e serviços mais simples, acessíveis e/ou convenientes.

Inovação estratégica

Já a inovação estratégica é um processo mais planejado, estruturado e sistemático. Esse tipo de inovação costuma gerar transformações mais profundas e sustentáveis no contexto empresarial.

Ao contrário da inovação disruptiva, mais isolada e ocasional (como a criação de um produto ou modelo de negócio dominante), a inovação estratégica é apoiada em base metodológica.

Por que inovar?

Inovar é fundamental na economia moderna. A capacidade de resolver problemas críticos depende da inovação. Quanto mais núcleos aculturados com mentalidade inovadora, mais sustentável esse processo será para uma empresa.

Podemos afirmar, sem medo de errar, que empresas que inovam conseguem:

➔ crescer acima da média;

➔ destacar-se de seus concorrentes;

➔ atender, antever e até conduzir as necessidades dos clientes;

➔ atrair melhores talentos;

➔ gerar mais valor em cadeia (funcionários, clientes e acionistas).


7 características das empresas inovadoras

Não há exatamente uma regra para inovar, mas há práticas amplamente difundidas em várias empresas consideradas inovadoras.

Jeffrey Baumgartner, ex-consultor de tecnologia de PepsiCo e Toyota, reuniu 7 características que só as empresas inovadoras têm no livro The Way of the Innovation Master.

Empresas inovadoras têm uma estratégia única e relevante.

Não têm medo de falhar — veem as falhas como molas propulsoras.

Fazem da inovação um meio para atingir metas.

São líderes e exercem a liderança como um valor.

Vão além das ideias: implementam inovações.

Criam e mantêm um ambiente de confiança.

Prezam pela autonomia e a incentivam.

Como preparar sua empresa para fazer o melhor uso da tecnologia

Um erro comum é limitar a inovação ao uso da tecnologia. As ferramentas tecnológicas são meios de encontrar soluções inovadoras, mas é a cultura (o mindset, as ideias, os testes, os erros e acertos) que leva à verdadeira inovação.

Sendo assim, confira dicas para pavimentar o caminho da inovação corporativa com o bom uso da tecnologia!

Gerencie ideias

Você pode usar softwares de gerenciamento de ideias, como o Groundbreaker, para criar uma cultura participativa. O sistema inclui ferramentas para que os colaboradores encontrem pares para seus projetos e priorizem as ideias mais promissoras.

Acompanhe o desempenho

É difícil saber o que melhorar, se não se sabe o que está dando certo ou não. Um dashboard de Business Intelligence pode ajudar sua equipe a acompanhar os principais indicadores de desempenho e direcionar melhor seus esforços de inovação.

Conclusão: é tempo de transformar a cultura do seu negócio

Como você viu, a cultura da empresa deve ser a primeira preocupação ao inovar em negócios. Para te ajudar nessa missão, escolhemos 3 drivers poderosos:

Os líderes precisam ter mentalidade inovadora: Isso significa que eles devem ser capazes de conduzir seus colaboradores a gerarem soluções criativas que resultem em melhor desempenho.

Você pode e deve medir a inovação: Comece acompanhando as ideias que você e sua equipe propuseram recentemente e meça quantas dessas propostas foram adotadas.

Abrace o fato de que a inovação é situacional: A expectativa da inovação na sua empresa será, digamos, diferente da expectativa de inovação da Apple. Vale a pena situar sua equipe sobre onde sua organização está e onde ela deve chegar.

Fonte: MJV innovation

2 visualizações

© 2020 Orgulhosamente feito por Atitude Empreendedora. Av. Dois Córregos, 1513 CNPJ 24.663.659/0001-96

Contato: +55 19 98987-9559